Central de Resultados

Destaque do período (1T17)

Destaques do Período

• Resultado Societário (IFRS): No 1T17, a Receita Líquida Ajustada atingiu R$ 372,1 milhões, ante os R$ 372,7 milhões apurados no 1T16.

No 1T17, o EBITDA atingiu R$ 305,9 milhões, 1,7% inferior aos R$ 311,2 milhões apurados no 1T16.

No 1T17, o Lucro Líquido totalizou R$ 73,7 milhões, 36,0% superior aos R$ 54,2 milhões registrados no 1T16.

• Resultado Regulatório: No 1T17, a Receita Líquida atingiu R$ 432,4 milhões, 14,4% superior aos R$ 377,9 milhões apurados no 1T16. 

No 1T17, o EBITDA atingiu R$ 365,9 milhões, 16,3% superior aos R$ 314,6 milhões apurados no 1T16.

No 1T17, o Lucro Líquido totalizou R$ 92,4 milhões, R$ 47,4 milhões superior aos R$ 45,0 milhões apurados no 1T16.

• Em 25 de abril, foi aprovado em Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária a:
- Distribuição de dividendos no montante de R$ 150,2 milhões (equivalente a R$0,51 por Unit), referente a 50,9% do lucro líquido do exercício de 2016;
- Ex - dividendo a partir de 26 de abril de 2017;
- Pagamento de R$ 90,1MM em 26 de junho de 2017;
- Pagamento de R$ 60,1 MM ao longo do exercício social de 2017.

• Em 24 de abril a Companhia sagrou-se vencedora do Lote 19, no Leilão de Transmissão Aneel 05/2016. O investimento estimado Aneel é de R$ 889,0 milhões e a RAP (Receita Anual Permitida) de R$ 99,1 milhões.

• Em 4 de abril, foi homologado o aumento de capital da Companhia, no âmbito da oferta pública primária, nos termos da Instrução CVM 476, sendo emitidas 128.224.999 novas ações. O preço por Unit foi fixado em R$19,50 (R$ 6,50 por ação), sendo o valor total da oferta de R$ 833.462.493,50.

• Em 21 de março, a Companhia comunicou seus acionistas que as suas controladas TCC e TPE protocolaram na Aneel o pedido de manifestação a respeito da alteração de sua composição acionária para prever: (i) a cessão da participação detida pela Perfin, equivalente a 0,5% do capital social, para a Apollo 11, que, somado à participação atual já detida pela Apollo 11, passará a deter 1% do capital social das Controladas; e (ii) em ato contínuo o aumento de participação no capital social da Apollo 11 nas referidas Controladas de forma que esta passe a deter 49% do capital social.